18/03/2023 às 17h05min - Atualizada em 18/03/2023 às 17h05min

Câmara Sem Papel leva Transformação Digital aos trabalhos legislativos

Projeto Câmara Sem Papel tem como foco a sustentabilidade, transparência e economia.

Reportagem: Ricardo Rodrigues Pazin - [email protected]
Metrópole Regional
Novo software permitirá que processos da Câmara de Cajamar sejam tramitados de forma digital. Foto: Divulgação
A Câmara Municipal Cajamar deu início à implementação do projeto Câmara Sem Papel com o objetivo de tornar as práticas de gestão administrativa e legislativa mais eficientes, transparentes e sustentáveis.
 
Na última sexta-feira (17/mar), foi realizado um treinamento completo aos funcionários para uso do novo software que permite que todos os processos internos sejam tramitados sem uso de papel.
 
Atualmente, os processos legislativos (que se referem aos requerimentos, indicações e projetos de leis) já têm a tramitação eletrônica, porém, dependem de impressão para coleta de assinaturas e encaminhamento à Prefeitura.
 
Com o novo sistema, toda a prática administrativa da Casa passa a ser também eletrônica, integrada ao sistema legislativo, e toda a tramitação, inclusive assinaturas, passam a ser eletrônicas, sem a necessidade de impressão.
 
“Desde o início do meu mandato como presidente eu defendo e trabalho para que a Câmara seja mais eficiente e que tenha seus processos modernizados. Acredito que o poder público, de forma geral, precisa ser mais eficiente. Com o Câmara Sem Papel todo o trabalho do Legislativo será mais rápido, econômico e sustentável. Os processos em papel serão substituídos por processos eletrônicos, que não demandam impressão, despesas com papel, com toner, com transporte”, explicou o presidente da Câmara, Cleber Candido Silva, o Clebinho (PSD). 
 
Os servidores da Casa darão início nos próximos dias o processo de catalogação e classificação de documentos para digitalização e futuro descarte daqueles materiais que não têm valor histórico.


 
Além da economia com a aquisição de papel, toner e locação de impressoras, o presidente da Câmara destaca a responsabilidade ambiental. “Temos que pensar em economia, é lógico, mas precisamos também olhar para o meio ambiente. Além da preservação por deixarmos de usar papel, temos a questão da redução da produção de resíduos, como embalagens de toner, que deixaremos de gerar”, afirmou Clebinho. 
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://metropoleregional.com.br/.