24/01/2023 às 11h32min - Atualizada em 24/01/2023 às 11h32min

Polícia Civil investiga golpe de vendedores de móveis e estofados em Cajamar

Reclamações se multiplicaram nas redes sociais. Vítimas de articularam para mitigar perdas.

Da Redação - [email protected]
Metrópole Regional
Cerca de 23 boletins de ocorrência já foram registrados no 1° Delegacia de Polícia (Polvilho). Foto: Reprodução
A Polícia Civil investiga um golpe praticado por dois vendedores de uma loja de móveis e estofados em uma feira realizada nas dependências do Anhanguera Parque Shopping. O golpe pode ter gerado um prejuízo de mais de R$ 10 mil aos clientes. As vítimas, que já somam mais de 20 pessoas, se organizaram para levar adiante às denúncias e conseguir mitigar as perdas.
 
Cerca de 23 boletins de ocorrência já foram registrados no 1° Delegacia de Polícia (Polvilho). Os relatos de todos são muito semelhantes: compraram um móvel na Letícia Estofados, que estava localizada dentro do Anhanguera Parque Shopping no distrito do Polvilho, e não receberam o produto. Agora, os comerciantes fecharam a loja e não atendem mais as ligações dos clientes.
 
Uma das pessoas lesadas, a empresária de uma clínica de estética, Alini Melo, conta que em dezembro passou pelo local e visualizou um estofado. Ela pagou pelo produto, que seria entregue 20 dias depois. Ao final do prazo, o vendedor, Alex, teria pedido mais 30 dias de tolerância. Ainda assim Alini não recebeu o sofá. Novamente, o vendedor disse que faria a entrega em mais dez dias úteis. "A desculpa era sempre a mesma".
 
"Negociei a compra com o vendedor Alex e acabei fechando negócio. Como a entrega não aconteceu, Alini insitiu inumeras vezes o estorno do dinheiro pago, ate que mais clientes lesados divulgaram o golpe nas redes sociais. A empresária conseguiu receber o dinheiro investido na compra. Mas nem todos conseguiram ser ressarcidos. 
 
A feira foi fechada em dezembro. Pelos registros, as transações ocorreram entre novembro e dezembro do ano passado. Uma das vítimas, foi a moradora Kerline Cardoso, segundo ela os prejuízos estão estimados R$ 8 mil. 
 
Os vendedores vão responder pelo crime de estelionato. Em um áudio enviado para a reportagem do Metrópole Regional o vendedor que teve sua identidade revelada pela equipe de reportagem como Ehsan Ahmed Masri, ele acusa o depósito de atraso nas entregas. "Por ser início de ano o depósito atrasou todas as entregas devido ao grande volume de pedidos", afirma. 
 
A direção do Anhanguera Parque Shopping ainda não se manifestou sobre o caso.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://metropoleregional.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp